Resenhas:

[RESENHA] Laranja Mecânica - Anthony Burgess


Olá queridíssimos leitores!
Como vocês estão? Hoje é dia de resenha de um livro maravilho do Anthony Burgess.



DESAFIO LITERÁRIO 55 LIVROS: 32 - Um livro ambientado no futuro

SINOPSE: Clássico eterno da ficção científica, Laranja Mecânica é um verdadeiro marco na história da cultura pop e da literatura distópica. Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma resposta igualmente agressiva de um governo totalitário.

A estranha linguagem utilizada por Alex, conhecida como Nadsat, merece destaque na obra, criada pelo próprio Burgess, fornece ao romance uma dimensão quase lírica.

A trama, que conta a história da violenta gangue de adolescentes que sai às ruas buscando divertimento de uma maneira um tanto controversa, incita profundas reflexões sobre temas atemporais, como o conceito de liberdade, a violência – seja ela social física ou psicológica – e os limites da relação entre o Estado e o Individuo.

Ao lado de 1984, de George Orwell, e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, Laranja Mecânica é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século 20. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.








Laranja Mecânica é um livro atemporal. Foi lançado em 62 pelo escritor Anthony Burgess e desde então tem o poder de chocar qualquer um que o leia. Ele foge dos estereótipos e apesar de sua primeira edição ter sido lançada a mais de 50 anos, parece que foi escrito nos dias atuais.E isso que o torna tão único.
Em um mundo futurista a violência tomou proporções gigantescas. a maioria dos jovens são um problema para a sociedade e o Governo quer aplacar a violência com mais violência. 
É em meio a este caos que conhecemos o narrador e protagonista da história, o jovem Alex, que com apenas 15 anos já cometeu tanta violência que seria impossível explicar.
Entre roubos, estupros e violência gratuita com os mais velhos, vamos sendo levados pela vida e rotina dele, líder de mais uma gangue que assola a cidade. Com o pouco policiamento e a falta de infra-estrutura na cidade, sobra oportunidades para jovens como Alex, vandalizarem a cidade e seus moradores.

A juventude precisa acabar, ah sim. Mas a juventude é apenas quando nos comportamos tipo assim como animais.

Alex me levou por uma espiral de sentimentos.Primeiramente me senti enojada por sua completa falta de humanidade.  Aos poucos fui sentindo pena dele, pensando se ele não seria apenas reflexo do mundo na qual ele vive.
Sem omitir nenhum detalhe de toda brutalidade, Burgess nos dá um tapa na cara, nos faz refletir, nos deixa pasmos ao mesmo tempo impressionados.
É difícil não se chocar com a narrativa crua e sincera do autor, ao mesmo tempo em que pensamos que o futuro violento imaginado por Burgess é na verdade os dias atuais.
Culpo Alex pelos crimes que cometeu, culpo seus pais por não saber educa-lo, culpo a sociedade por criar mais um marginal, culpo o Governo por tentar aplacar a violência com mais violência.

"Ser bom pode ser horrível. E quando digo isso a você percebo o quão autocontraditório isso soa."

Para gerar ainda mais uma estranheza, o autor criou uma linguagem própria usada pelo Alex, que, ao mesmo tempo que nos confunde e nos atrai.
A princípio tive dificuldade em acompanhar o texto, por conta dessa linguagem própria, mas logo nos habituamos e fica fácil entender o que o Alex quer nos passar em sua narrativa. É ao mesmo tempo bizarro e curioso.
O ápice da história se dá quando Alex passa pela terapia Ludovico onde o  Governo molda a personalidade de Alex e o faz ter aversão de violência.
Isso me fez questionar até que ponto o Governo pode intervir em nossas vidas? Seria realmente certo e justo muda-lo em prol da sociedade? Ou esse é apenas o meio mais fácil de alcançar bons resultados? Alex é apenas mais um no sistema. Ele pode ser eu ou você, mais um na multidão sendo engolido pelo sistema.

"Será que eu serei apenas uma laranja mecânica?"

O que mais me encantou neste livro foi a rudeza do autor, Muitas vezes fingimos que a violência não faz parte do nosso dia-a-dia, escondendo a verdade embaixo do tapete, e vem Burgess e joga sal na ferida.
Alex representa cada jovem, cada desesperança, cada atrocidade que vemos na TV. Engaçado que mesmo vendo os jornais, ler esse livro me impressionou mais do que qualquer notícia que já tenha visto. Talvez pela simplicidade com a qual o protagonista conta sua história, 
Um livro que, sem dúvida alguma, vou levar no coração.

"E, portanto, de vosso pequeno drugui, recebam um adeus."

CLASSIFICAÇÃO:








Título: OLaranja Mecânica
Título Original: The Clockwork Orange
Autor: Anthony  Burgess
Editora: Aleph
Páginas: 200
Ano: 2014
Gênero: Distopia
Saiba mais: Skoob

Onde Comprar: CLIQUE AQUI 
  

Um comentário:

  1. Olá, por incrível que pareça ainda não li distopia mais tenho dois livros aguardando leitura. Laranja Mecânica não sei se é um livro que eu leria mais pela sua resenha acredito que sim.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir

Esse espaço é seu!
Deixe seu comentário e não esqueça de deixar o endereço de seu blog, para que eu possa dar uma espiadinha!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...